Que a força do medo que tenho
não me impeça de ver o que anseio
que a morte de tudo em que acredito
não me tape os ouvidos e a boca
porque metade de mim é o que eu grito
mas a outra metade é silêncio.


Que a música que ouço ao longe
seja linda ainda que triste
que a mulher que amo seja pra sempre amada
mesmo que distante
porque metade de mim é partida
mas a outra metade é saudade.


Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
apenas respeitadas como a única coisa
que resta a um homem inundado de sentimentos
porque metade de mim é o que ouço
mas a outra metade é o que calo.


Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz que eu mereço
e que essa tensão que me corrói por dentro
seja um dia recompensada
porque metade de mim é o que penso
mas a outra metade é um vulcão.


Que o medo da solidão se afaste
e que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
que o espelho reflita em meu rosto num doce sorriso
que eu me lembro ter dado na infância
porque metade de mim é a lembrança do que fui
a outra metade não sei.


Que não seja preciso mais do que uma simples alegria
pra me fazer aquietar o espírito
e que o teu silêncio me fale cada vez mais
porque metade de mim é abrigo
mas a outra metade é cansaço.


Que a arte nos aponte uma resposta
mesmo que ela não saiba
e que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
porque metade de mim é platéia
e a outra metade é canção.


E que a minha loucura seja perdoada
porque metade de mim é amor
e a outra metade também. 

“E se eu te olhar cem vezes, acredite, em cada uma delas estarei me apaixonando um pouco mais.”
(Caio Fernando Abreu)


"Enquanto houver você do outro lado, aqui do outro eu consigo me orientar"

"Enquanto houver você do outro lado, aqui do outro eu consigo me orientar"

                                           

"Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos.

Eu não tenho necessidade de ti.E tu não tens também necessidade de mim. 

Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. 

Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. 

Serás para mim único no mundo.E eu serei para ti única no mundo.”

O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry

There’s nothing That I wouldn’t do To make you feel my love

// Sobre relacionamentos//

Eu realmente não entendo as pessoas que estão “só ficando” e dizem “ah, mas nós não estamos juntos. Estamos só ficando”.

A definição corriqueira do “ficar” é: duas pessoas que são mutuamente interessantes, que passam tempo juntos, como casal, sair pra jantar, beijar, abraçar, sexo, mas não são exclusivas, não são monogâmicas. Podem sair e se relacionar da mesma forma com outras pessoas.

Estar em um relacionamento é muito mais do que só mudar o status do facebook. A partir do momento em que você faz tudo isso, já é um relacionamento, e as pessoas não vêem isso, preferem deixar separadas as duas coisas. (o que as pessoas vão pensar se descobrirem que estou namorando? - AFF)

Mas até entendo o porquê de manter essa distância entre namoro e “ficar”, elas não querem se comprometer com o outro, por que um relacionamento “sério” é muito mais que só beijar na boca, é deixar a outra pessoa fazer parte da sua vida, e ser parte, também, da vida dela. E deixar alguém entrar na sua vida, que há tanto tempo está organizada já to jeito que você gosta e conhece é muito difícil.

Tem-se que acostumar com novas idéias, novas formas de pensar, novos valores, novos costumes, deixar de lado o “Eu” e colocar no lugar o “Nós”. Isso sem contar o medo de todo o histórico amoroso falho (que todo mundo tem) vir à tona e voltar a ser realidade.

Deixar alguém entrar na sua vida, é aceitar a outra pessoa, como ela é. Com todos os defeitos, com todos os erros, e com todo o passado dela também. Não é algo que acontece do dia pra noite, e não é uma coisa que você vai fazer com qualquer um.

Estar junto é mais que andar de mão dada no shopping e fazer loucuras de amor à luz da lua (um beijo Fagner ♥), é estar perto pro bom e ruim, dividir sonhos e loucuras e, por mais difícil que seja, aceitar que você não está sozinho e que outra pessoa sim vai estar ali por você não importa o que aconteça. E isso leva tempo, leva respeito, leva deixar o orgulho pra trás, e deve ser cultivado todos os dias com carinho e dedicação.

Eu resolvi deixar uma pessoa entrar na minha vida e o mais importante, na minha família, e sei bem das dificuldades do “nós”, e principalmente de aceitar as mudanças e deixar o passado pra trás, mas tudo isso é recompensado por ter alguém no qual você confia a sua vida e que consegue te fazer incontavelmente feliz.

In My Life - John Lennon

There are places I remember
All my life though some have changed
Some forever not for better
Some have gone and some remain

All these places have their moments
With lovers and friends I still can recall
Some are dead and some are living
In my life I’ve loved them all

But of all these friends and lovers
There is no one compared with you
And these memories lose their meaning
When I think of love as something new

Though I know I’ll never lose affection
For people and things that went before
I know I’ll often stop and think about them
In my life I love you more

Though I know I’ll never lose affection
For people and things that went before
I know I’ll often stop and think about them
In my life I love you more

In my life I love you more…

// Meu Blog e Eu //

                    Eu queria fazer um blog, que atendesse às minhas necessidades profissionais, só que o problema é que eu não sei mexer com blogs e tecnologias e essas coisas. Sabem o que eu fiz?

Criei um blog!

Isso mesmo, lutei com tudo e criei.Tive a idéia, coloquei ela no papel, planejei por 3 meses, encontrei um sócio pra me ajudar (rique) e alguns amigos blogueiros para me socorrer. Passei mais dois meses procurando um nome DECENTE pra ele e encontrei. Como não sabia por onde começar ao certo, criei uma conta no wordpress, e estava tudo indo lindamente, com muitos posts e a menor taxa de visitas já vista em um blog. YES, eu sou um fracasso.

Só que a minha vida é absurdamente corrida, estou terminando a faculdade e trabalho e vida amorosa falha e twitter e bar. Tudo isso me ocupa muito tempo por isso pensei: “Não estou me dedicando o suficiente, por isso não dá certo.”

RECAPITULANDO A HISTÓRIA: Eu não estava com tempo para postar, não estava divulgando o suficiente, ninguém acessava o blog e eu não sei mexer com tecnologias.

Enfim, após isso tudo, resolvi registrar o domínio do blog (afinal é um nome muito legal, a galera curtiu e eu sou possessiva e quero só pra mim). Registrei, gastei lá umas 30 dilmas, nem lembro ao certo. NÂO CONTENTE com isto, fui atrás da hospedagem, por que é CLARO que eu sou gananciosa e queria que ele entrasse no ar sem o .wordpress.com no final (que me irritava e pra mim não parece que é coisa séria) - esse deveria ser meu segundo ou décimo quinto sinal para parar por aí essa história de blog-

Eu ATORMENTEI a vida do meu amigo Anderssauro, com dúvidas e perguntas e questionamentos e tudo mais, e ele me ajudou com a força de vontade de um mestre Jedi, só que eu não me dei bem com a hospedagem, e mudei de servidor, para um que eu tinha um contato mais fácil com o pessoal do suporte (Obri Thiago, por me aguentar).

 Cá estamos, ao final de 9 meses de luta, continuo sem tempo para postar, continuo sem entender bulhunfas de internet e tecnologias e sem conseguir postar direito , mas estou aqui, brigando com o painel de controle e rindo absurdamente com o meu sócio, porque eu sou uma topeira.

                          

Isso tudo foi um desabafo, de quem não consegue configurar um email do servidor, e de quem fica dando murro em ponta de faca achando que consegue fazer tudo sozinha.  Mas amigos, garanto pra vocês uma coisa: esse blog VAI DAR CERTO, agora é questão de orgulho.

Se você se sentiu curioso, dá uma olhada lá www.jardimhistorico.com.br

Se se sentiu comovido ou tocado(de forma assexuada) com meu desabafo, pode me mandar sugestões, críticas. Se quiser me ajudar será ÓTIMO

Obri amigos, vocês são lindos.

// A teoria, na prática, é outra//

Existem muitas formas de se viver em um relacionamento e de fazê-lo dar certo e todos nós sabemos a maioria delas. Sabemos que não se pode prender o outro, que cada um tem que viver a sua vida, os dois juntos e não as duas pessoas vivendo uma vida só. A gente precisa respirar,  ter nosso canto, nossos amigos,  nossas coisas sozinhos.

Sabemos também que ciúmes não leva a nada e que  na maioria das vezes só é coisa da nossa cabeça. Inclua nisso também a confiança no outro. Se  ele/ela está com você é por que quer estar com você, não vai sair procurando ou tentando com outra pessoa. Sei que tem casos e casos e que com quem tem histórico a gente tem que ficar de olho né? Mas, vamos confiar primeiro, pra depois julgar.

                                     

Outra coisa são as birras, manhas, pequenas atitudes desnecessárias que se resolveriam facilmente em uma conversa, e isso é outro ponto: COMUNICAÇÃO. Ninguém aqui é X-Man, o seu parceiro não vai adivinhar o que você está pensando ou sentido se você não falar. E atente que conversar é diferente de gritaria e acusação, somos todos seres civilizados e maduros o suficiente para saber disso.

Apreciar, valorizar o outro, agradecer e não só impor. Tudo isso a gente sabe, de cor e salteado, sabe tanto que vive espalhando conselhos e opiniões nos relacionamentos alheios, o problema é conseguir por em prática. Quando tem sentimento envolvido a gente esquece de tudo isso e passa a escutar o diabinho da discórdia querendo colocar mais lenha na fogueira.

Não adianta, quando a gente gosta, parece que enlouquece, mas isso é só até os dois se adaptarem,  antes era ele e era ela, agora são um casal e demora um pouco pra se acostumar e se conhecer.Mas calma gente,  logo tudo se acerta, é só ter um poquinho de paciência.

.                             I don´t like you all the time. Only when you give me cookies 

.                             I don´t like you all the time. Only when you give me cookies 

Divagações
e pensamentos
de um
Caju